Seja bem-vindo
Manaus,19/05/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

‘Farra de campanha’: Renato Afonso tenta se reeleger em Pauini doando fichas de vale-gasolina


‘Farra de campanha’: Renato Afonso tenta se reeleger em Pauini doando fichas de vale-gasolina

Amazonas – O lançamento da pré-candidatura à reeleição do prefeito de Pauini, Renato Afonso, e seu vice, Paulo Souza, no último sábado (13/5), foi marcado por uma polêmica envolvendo denúncias de crimes pré-eleitorais. Entre as acusações, destaca-se a doação de fichas vale-gasolina para a população que participasse da carreata do evento, levantando questionamentos sobre práticas irregulares durante a campanha política.

O evento contou com a presença não apenas de Renato Afonso e seu vice, mas também de figuras influentes como seu irmão, o deputado estadual Adjunto Afonso, e o deputado federal Sidney Leite, além de vereadores da base do prefeito.

População faz denúncia

Um vídeo amplamente compartilhado nas redes sociais mostra um homem exibindo uma garrafa pet contendo 2 litros de gasolina, alegadamente obtidos através de fichas de combustível distribuídas durante o evento político. Em seu relato, ele revela ter adquirido uma ficha de R$20 de um indivíduo que, segundo ele, obteve as fichas durante uma passeata liderada por Renato Afonso e seus aliados. O homem afirma que utilizou a ficha para abastecer sua moto e, de forma irônica, menciona a intenção de usar o combustível obtido para seu próprio benefício, às custas dos envolvidos na distribuição das fichas.

Funcionários coagidos a participar

Além das denúncias sobre a distribuição irregular de fichas de gasolina durante o evento de lançamento da pré-candidatura à reeleição do prefeito Renato Afonso, surgiram relatos preocupantes sobre a possível coação de funcionários públicos para participarem do evento político.

Segundo informações compartilhadas por indivíduos que estiveram presentes no evento, alguns servidores teriam sido pressionados ou até mesmo obrigados a comparecer à motociata e outras atividades relacionadas ao evento político. Veja:


Esquema da gasolina citada no Whatsapp

De acordo com informações recebidas, um diretor da UBS teria enviado mensagens convocando os funcionários para comparecerem a um evento político, prometendo-lhes gasolina como incentivo para participarem. Veja prints:

 

Essa prática levanta sérias questões éticas e legais, uma vez que a convocação de funcionários públicos para eventos políticos deve ser realizada de forma voluntária e sem qualquer tipo de coação ou benefício em troca da participação. Além disso, o uso de recursos públicos, como combustível, para finalidades políticas pode configurar um grave desvio de conduta e até mesmo um crime eleitoral.

Faltou gasolina

A quantidade de fichas de gasolina distribuídas foi tão significativa que o posto de combustível local acabou ficando sem estoque para venda, conforme pode ser observado em uma foto compartilhada nas redes sociais.




COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.